domingo, 3 de fevereiro de 2013

Quadras de sonhos


Toda noite sonhava e ouvia
Canções sussurradas pela Lua.
Depois corria atrás de luzes que via
Fugir pela janela em direção à rua.

Eu as perseguia noite afora,
Por precipícios, rios e vales,
Em um sonho do qual, agora-agora,
Não consigo lembrar detalhes.

De repente, descobria você comigo
Os olhos, como de estrelas bordado,
Luzia em seu rosto moreno e eu, perdido,
Queria acreditar que você tinha voltado.

Você deitava os dedos sobre meus lábios,
Tão apressados em dizer, o quê não sei.
E no silêncio que faz sonhos parecerem sábios,
Preferindo morrer que acordar, acordei...

Thiago Marques (Salvador, 03/fevereiro/2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário