quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Cantiga sem esperança


Tanto violão,
Tanta miragem,
Tanta canção
Nesse fim de tarde.

Tanta ilusão,
Tanta vontade,
Tanto sim e não
Deixando saudade.

Nessas ruas baianas,
Nessas noites praianas,
Onde ande você?
Brincando com a Lua,
De pique na rua,
Com sonhos, de esconder.

Nessas noites serenas,
Nesses ventos desejos,
Em sua boca, Morena,
Ainda me guarda um beijo?

Já quase desisto de vê-la,
Não a encontro jamais...
É como se fosse uma estrela,
Em um sonho fugaz.

No seus olhos intensos,
Tantos caminhos a correr,
Nesse sorriso imenso,
Como queria me perder.

Thiago Marques (15/12/2012).

Nenhum comentário:

Postar um comentário