terça-feira, 9 de outubro de 2012

Luta, substantivo feminino!

Deixo aqui minha homenagem a todas as companheiras de luta pela democracia (não apenas do PSOL, mas o texto foi escrito para estas, realmente).


À mulher, a luta deixa de ser opção. A luta é uma companheira familiar, é um caminhar que lhe é necessário, uma força à qual não pode escapar. Porque lhe é exigido todo tempo que se justifique, que se adeque, que se conforme e aquelas que dizem não a essas exigências, aprendem que a luta é o único caminho para a emancipação. Nada nos é dado. Direitos, liberdades, espaço e voz são conquistas históricas e diárias para mulher, especialmente (mas assim o é para todos nós). Em “O Segundo Sexo” (1949), Simone de Beauvoir diz que “não se nasce mulher, torna-se”. Se me for permitida a paráfrase, “não se nasce mulher, conquista-se...” 

Vamos construindo história pelo Brasil e vemos amanhecer um novo dia, sob o Sol de renovada esperança de luta democrática. Isto se dá, também, pela luta destas mulheres. Parabéns às companheiras de luta do Psol!